Blog da Guaranita

Verde invade a Casa Cor São Paulo

06 de junho de 2018

A “Casa Viva” foi o tema proposto para os arquitetos que participam da 32ª edição da Casa Cor São Paulo, neste ano. O objetivo da maior mostra de decoração do país era instigar os profissionais a repensar o morar, valorizando a conexão com a natureza. Daí o verde estar tão presente nos 82 ambientes, indo desde a presença de árvores inteiras no interior dos projetos até o uso de pedras brutas, madeiras e fibras naturais nos revestimentos. Mas o verde marcou presença extra. Apontado como cor do momento, ele surgiu em móveis, cortinas, tapetes, acessórios e pisos, em diferentes tonalidades e texturas.

 









Reprodução: Juliana Bianchi
A poltrona em veludo verde era destaque na sala inundada pela iluminação natural projetada por João Armentano.
À dir., a banqueta em veludo verde com tachas douradas complementam 
um dos ambientes do Riad de Roberto Migotto,
que também apostou na cadeira de veludo verde para quebrar a monocromia na suíte.

 

 

Se praticamente todo ambiente tinha um elemento verde para chamar de seu – muitas vezes pontuado por toques dourados ou acobreados –, todos eles também tinham alguns metros de veludo para ficasse bem claro para os visitantes qual era o tecido da vez. Em diversas cores, fosco, brilhante (com efeito molhado) ou combinado com couro e camurça, o veludo foi presença marcante. Houve quem tenha investido em grandes sofás revestidos com ele, como fizeram Roberto Migotto, Lisandro Piloni e a dupla Silvana Mattar e Flavia Gerab. Quem tenha apostado na combinação com couro, caso de Lídia Maciel e Flavia Ranieri. E quem usou-o apenas para pontuar o protejo, como fez Jean de Just e

 

 


Da esquerda para direita, o veludo presente nos projetos de Lisandro Piloni, Flavia Ranieri e Lídia Maciel.

 

 

Altamente sensoriais, os ambientes da mostra deste ano também provaram que o trabalho artesanal continua em alta, e que pequenos e singelos detalhes feitos à mão significam cada vez mais no todo. Entre os destaques estão os trechos de músicas de Chico Buarque e Caetano Veloso bordados em toalhas, almofadas e colchas no loft de Marcelo Salum, os crochês eternizados na mesa de resina no ambiente de Edson Lorenzzo e revestindo banquetas na suíte da Triplex Arquitetura e as mantas artesanais que completaram o visual da cama em muitos projetos, como o de Arthur Casas (abaixo).

 

 



Letras de músicas bordadas à mão, crochês, maxitricôs estão entre os destaques artesanais presentes na mostra.

 

 

Em alta nas passarelas, as franjas e pompons também invadiram a casa, principalmente em almofadas, banquetas e mantas decorativas.

 

 


Da esquerda para a direita, maxitricô com pompom na Boutique Residence 218; a almodafa com franjas longas no spa de
Andrea Teixeira e Fernanda Negrelli; e a passamanaria franjada na banqueta de veludo estampado no ambiente de Migotto.

 

 

E o tie-dye também não foi deixado de lado. Pelo contrário, ganhou destaque na sala projetada pela arquiteta catarinense Juliana Pippi, que fez do sofá em índigo descolorido com a técnica do shibori o centro das atenções (abaixo).

 

 


Veja na galeria abaixo outros destaques da mostra de decoração que fica no Jockey Club de São Paulo até 29 de julho.

 

 


Escadinha transformada em mesa lateral com braço recoberto com fios de couro na Boutique Residence de Silvana Mattar e Flavia Gerab.

 

 


No quarto de bebê projetado pela MN Arquitetura de Interiores luminárias, almofadas, móveis, potes e brinquedos eram
feitos ou revestidos com maxi tricô, trazendo ainda mais aconchego e personalidade ao ambiente.

 

 


 Almofadas franjadas na sala da lareira projetada por Debora Aguiar.

 

 


Almofadas de shibori da Tinctu na loja da Casa Cor SP.

 

 


O veludo verde marcando presença no ambiente de Maicon Antoniolli.

 

 

<< post anterior post seguinte >>

Tutorial

Veja todos os Tutoriais
CONTATO